Motivadores de compra

Lembra quando tínhamos na TV apenas quatro ou cinco canais? Hoje, quem tem acesso a TV a cabo com muitas opções, lembra daquela época como se fosse da pré-história, quando tinha de levantar do sofá para trocar o canal. Pois é, ainda existem muitos vendedores na pré-história chamo isso de “venda monocanal”.

Vender é psicologia. Existe uma linha da psicologia de consumo muito interessante que analisa compradores de produtos e serviços, pelo que se convencionou chamar de “motivadores de compra”.

A maioria dos estudiosos tradicionais defende que existem cinco, embora tenha visto alguns “avançados” que consideram seis.

Eduardo Ferraz, da Pactive, um dos principais especialistas da área no Brasil, usa o conceito em seus treinamentos de negociação e tem o sexto motivador de compra “auto-realização/prazer pessoal” , fazendo um paralelo com Maslow.

O Marcantonio Montesano, outro especialista, também usa o sexto. No entanto, para o assunto de hoje, vamos considerar apenas os cinco tradicionais. Cada um deles é a explicação psicológica em algo que o comprador busca ao adquirir um produto ou serviço.

E qual a importância de saber o motivador de um cliente? Basicamente, para não ser um vendedor de canal único. Saber os motivadores de um cliente ajuda muito na hora de argumentar com ele.

Se você erra o canal do motivador de compra, além de desagradar ao cliente e não conseguir aprofundar seu relacionamento, também começa a alimentar objeções contrárias. Logo, é importante entender o conceito e aplicá-lo corretamente. Quanto mais canais você domina/compreende, mais recursos tem para atender e negociar melhor. Basicamente, os cinco motivadores tradicionais de compra são (os termos podem variar de acordo com o autor):

1. Busca do lucro, vantagem ou benefício.

2. Medo de perda, desvantagem ou prejuízo.

3. Evitar o desconforto, dor ou incômodo.

4. Prazer.

5. Status, reconhecimento e destaque.

Motivadores de compra

A importância dos motivadores de compra durante uma negociação.

Nos workshops que realizo, peço aos vendedores que pensem num cliente com um motivador específico e imagem que tipo de pergunta ele/ela faria, por exemplo: o que um cliente que está tentando evitar o desconforto ou incômodo questiona?

Se reconhecer o motivador de compras do cliente é facil, difícil é fazer com que os vendedores não “troquem de canal”. A maioria responde facilmente as perguntas de clientes buscando vantagens, começa patinar com medo de perda/desconforto e viaja na maionese com prazer e reconhecimento.

Limitado na argumentação e no descobrimento dos motivadores de compras, é claro que um vendedor não será eficiente na negociação, o que geralmente desemboca em questões relacionadas ao preço. Quem vende valor precisa entender o motivador de compra de um cliente ou nunca conseguirá agregar valor a nada. Então, fica aquele vendedor triste, monocanal, que oferece desconto antes de o cliente pedir, que só começa uma apresentação falando de preço e tem imensas dificuldades de vender qualquer coisa que não seja o mais barato, em promoção ou parcelado.

Pior ainda, temos uma legião de vendedores monocanal que recebe instruções do tipo: “Você pode trabalhar com até 8% de desconto, entendeu?”. O vendedor diz que entendeu…  , aí na próxima venda, dá os 8% de desconto direto ( sem negociar) e ainda vai pedir para o gerente mais 2% ou 3% para não perder a venda.

Aliás, para falar a verdade, esse vendedor nem sabe vender, porque apresentar o produto ou serviço mais barato um bom chimpanzé amestrado consegue. Talvez, ele erre o troco, mas isso algumas pessoas também fazem. Muita gente se irrita com a comparação, e acho ótimo. Geralmente são os mesmos que dizem que “cliente só quer preço” e fazem uma cara de “lá vamos nós…” quando se fala de agregar ou oferecer valor, como se fosse uma discussão filosófica tediosa e sem sentido. O vendedor monocanal é como aquele mecânico de beira de estrada que só tem um martelo e uma chave de fenda, e tenta arrumar qualquer coisa com uma boa pancada e depois cola com fita isolante. Pode até funcionar de vez em quando e quebrar um galho, mas de maneira muito limitada.

Se você quer utilizar todas as ferramentas disponíveis para atender melhor, vender mais e melhorar sua lucratividade, precisa se aprofundar em conceitos sobre como conhecer melhor o cliente para oferecer algo a mais. Sim, alguns clientes querem preço. Mas qualquer bom profissional de vendas sabe que existe muito mais entre o céu e a terra que supõe a vã filosofia de preço baixo dos vendedores monocanais. Abra seus horizontes e use todos os canais disponíveis – com certeza, seus resultados melhorarão muito.

Por: Raúl Candeloro, edição Nº 172 da revista Venda Mais.

Compartilhe:

Sobre Vinicius Felix Marouelli

Vinicius Felix Marouelli Escreveu 29 posts nesse blog.

Formado em Produção Multi Midia em 2008, apaixonado por Publicidade, Programador, Blogueiro e Empreendedor nas horas vagas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *