Escala de trabalho em vendas

Escala de Trabalho em Vendas e o “Fenômeno 24 horas”

A escala de trabalho em vendas, por mais de um turno de trabalho, que sejam vendas por telemarketing ou por outros meios, começa a ter destaque à medida que escasseia tempo do ser comum no expediente normal para fazer compras e desenvolver a sua sobrevivência.  É o “fenômeno 24 horas”, que já era bem conhecido nas farmácias, supermercados, postos de gasolina e lojas de conveniência. Já é comum que isto aconteça num mesmo lugar, em forma de hipermercado, ou num conjunto de pontos noturnos de conveniências.

E aí o “fenômeno 24 horas” começou a se estender aos negócios empresariais. Megalópoles como São Paulo passaram a abusar de toda uma logística de entrega noturna, para desafogar em parte os congestionamentos diurnos.

Como organizar sua escala de trabalho em vendas

Escala de trabalho em Vendas

E porque não expandir o turno administrativo de trabalho e de negócios para o outro lado do mundo, principalmente para os países que têm o seu eixo horário defasado 12 horas do nosso?

Este fenômeno das 24 horas vem se acentuando há décadas nos países desenvolvidos, aonde a economia vem sendo empurrada pelo auto custo da educação. Na medida em que se generaliza o valor anual de ter cada filho na universidade a 10.000 dólares por ano ou mais, os pais se obrigam, na maioria dos casos a trabalhar os dois e não raro terem mais de um emprego, cada um, exacerbando mais ainda o “fenômeno 24 horas”.

A Índia soube aproveitar bem o crescimento do fenômeno 24 horas. Ex-colônia inglesa é a segunda população (em número) falante em inglês, somente abaixo dos EUA. A Índia e a China têm alcançado um crescimento econômico e tecnológico inigualáveis no mundo. Que seja num percentual pequeno, mas da grande população de ambos, a quantidade de gente com cultura suficiente para conduzir negócios é enorme.

A Índia leva vantagem em relação aos seus concorrentes China, Malásia, Filipinas e outros países asiáticos em alguns aspectos como:

– Sotaque menos ruim ao falar inglês.

Convenhamos, o sotaque indiano sobre o inglês não é dos melhores, mas é terrível tentar manter conversação em inglês com chineses e outros asiáticos, na maioria dos casos;

– elevado estado da arte em Tecnologia da Informação. Facilmente atinge a todo o mundo, mas a Índia tem um grande contingente universitário com muito boa formação tecnológica, capaz de absorver o estado da arte do momento.

– preços da mão de obra excepcionalmente baixos, comparados com Brasil e principalmente com os países do primeiro mundo;

– meridianos do tempo em condições vantajosas, permitindo a complementação do suporte para 24x7x365 dias;

– políticas governistas que objetivamente apóiam este desenvolvimento.

Assim, a Índia conta com conglomerados de 50 ou maiores empresas fazendo atividades comerciais para empresas estrangeiras, em Telemarketing ativo e passivo, recuperação de desastres, assistência técnica, suporte a email e conferências, e muitas outras atividades.

Algumas grandes empresas estrangeiras optaram por abrir filiais em território indiano, para reduzir seus custos e participar deste bolo de vantagens.

Com tanta gente se revezando nas 24 horas para vender, ganha destaque a efetividade com que as escalas de turno são planejadas. Não basta ter a eficiência de custar pouco, mas também tem que ter a eficácia de fazer a coisa certa.

 

Compartilhe:

Sobre Vinicius Felix Marouelli

Vinicius Felix Marouelli Escreveu 29 posts nesse blog.

Formado em Produção Multi Midia em 2008, apaixonado por Publicidade, Programador, Blogueiro e Empreendedor nas horas vagas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *